domingo, 3 de maio de 2020

Os 25 livros evangélicos mais procurados em 2019

O blog Literatura Cristã, analisou quais foram as 25 resenhas de livros evangélicos mais procurados aqui na nossa página, baseado nos dados do google analytics. Os dados podem servir para você leitor que gosta de se deliciar e se edificar com a literatura do Reino e preparar suas lista de leitura para 2020. (Veja também a lista dos mais procurados em 2018) Veja a lista:

1ª Discipulado (1118 visualizações)
2ª O Totem da Paz (481 visualizações)
3ª Em seus passos o que faria Jesus (455 visualizações)
4ª O Impostor que vive em mim (260 visualizações)
Cristo é o Senhor (210 visualizações)
Incomparável Cristo (196 visualizações)
7ª A arte e a Bíblia (173 visualizações)
8ª  Samuel Morris (170 visualizações)
9ª Cristianismo Diabólico (146 visualizações)
10ª 90 minutos para  o céu (136 visualizações)
11ª Formigas (132 visualizações)
12ª A Vida de Martyn Lloyd Jones 1899 - 1981 (132 visualizações)
13ª O discipulo Radical (124 visualizações)
14ª A Morte da Razão (114 visualizações)
15ª O Vinho Novo é o Melhor (110 visualizações)
16ª O Fator Melquisedeque (110 visualizações)
17ª Pode falar,  Senhor...eu estou ouvindo (110 visualizações)
18ª  Crer é também pensar (109 visualizações)
19ª A Religião mais negra do Brasil (104 visualizações)
20ª  Pacto de Lausanne (102 visualizações)
21ª Além das Possibilidades (100 visualizações)
22ª Uma Breve História do Cristianismo (94 visualizações)
23ª Feitos para durar (94 visualizações)
24ª  A evangelização da Igreja Primitiva (94 visualizações)
25ª Deus em questão (94 visualizações)

sexta-feira, 1 de maio de 2020

Resenha do Livro A Menina da Foto: Minhas memórias: Do horror da guerra ao caminho da paz

O livro A Menina da Foto: Minhas memórias: Do horror da guerra ao caminho da paz, é uma publicação no Brasil da Editora Mundo Cristão e conta a história comovente da Kim Phuc Phan Thi, a viatnamita conhecida internacionalmente pela foto do fotografo  Nick Ut, da agência Associated Press, que presenciou o ataque químico na Guerra do Vietnam.

Kim Phuc Phan Thi começa  a sua trajetória através de sua própria infância relatando os bons momentos com sua família, sua religião, o cenário de um Vietnam até então pacifico aos seus olhos, mas que já estava em plena eclosão de movimentos armados e ocupação americana que marcou a  Guerra Fria e a luta entre capitalistas e socialistas, até ser atingida pela guerra com o seu próprio corpo, através do  ataque de napalm. Ela relata momentos terríveis, a luta para viver e o tratamento da arma química, sua recuperação, mas não deixa também de apontar por delicadas situações que sofreu após a vitória dos socialistas do Vietnam, como foi transformada em simbolo da nação e do mundo soviético, porém não podia dizer ao mundo o que se passava em seu próprio país.

Após diversos capítulos os raios da esperança começam a inundar a leitura, sua conversão ao cristianismo, o aprendizado sobre perdão, seu romance e casamento, até sua extraordinária fuga para o Canadá. Um história que com certeza poderia se tornar um belo filme com final feliz, apesar de intenso, recheado de cenas de ação e drama.

A menina da foto é uma obra prima, que leva o leitor a diversas reflexões desde como conviver e superar  adversidades, a importância do perdão, o  aprendizado sobre uma nação aos nossos olhos exótica e cheia de mistérios, uma visão política sobre a guerra fria e o problema das armas de destruição em massa. Vale a pena cada página, muito edificante.


Título:  A Menina da Foto: Minhas memórias: Do horror da guerra ao caminho da paz
 Autor: Kim Phuc Phan Than
 Editora:  Mundo Cristão 
 Páginas: 320

domingo, 17 de novembro de 2019

Resenha do Livro Cartas de um diabo ao seu aprendiz - C.S. Lewis

O livro Cartas de um diabo ao seu aprendiz  foi escrito pelo professor da Oxford, C. S. Lewis, ele é considerado um dos grandes nomes do cristianismo do  Século XX, suas obras  variam entre ficção e filosofia, o autor  ganhou popularidade internacionalmente, inclusive entre não cristãos, através do livro "Crônicas de Nárnia", que tornou-se uma triologia nos cinemas

C.S. Lewis de forma ficcional criou dois personagens, um diabo "sênior" e seu aprendiz, eles planejam em 30 (trinta) cartas,  formas de levar o homem,  o povo britânico e a humanidade ao inferno.  Praticamente todas as cartas  mostram em detalhes a estratégia de satanás, todavia contém um  um enredo leve e  engraçado, o que não impede de falar as verdades necessárias para o leitor, a intervenção divina e a vontade de Cristo vai se sobrepondo a todos os planos malignos, carta após carta.

O livro foi publicado em plena Segunda Guerra Mundial no ano de  1942,  e foi dedicado a seu amigo J.R.R Token. Ele diz muito sobre como muitas vezes a guerra que é uma destruição total leva o homem ao sofrimento e consequentemente a conhecer a Cristo, também mostra claramente as ilusões satânicas deste século, seja por uma busca exacerbadamente racional que nega a existência do sobrenatural ou pela apatia religiosa e busca por prazeres mundanos, mas o mais belo do livro é como Jesus vai conquistando os homens e destronando os demônios dia após dia através de seu plano salvífico, apontando para a comunhão dos cristãos como uma das principais causas.

A igreja evangélica brasileira  ama o assunto "Satanás" muitas comunidades bebem da doutrina da "Batalha Espiritual", o livro Cartas de um diabo ao seu aprendiz  pretende fazer o mesmo, todavia   de forma sadia e cômica, trabalhando  com o tipo literário de  fábulas. A obra é  um dos melhores livros para entender o oculto, porém de forma muito mais  equilibrada que muitas outras obras, por colocar a soberania de Deus acima de toda a opressão avinda do inferno, é também um livro  indicado tanto para crianças como adulto, foi produzido com uma dosagem essencialmente cristã, vale a pena a leitura, para quem gosta do gênero literário de ficção.

Título: Cartas de um diabo ao seu aprendiz 
Autor: C.S. Lewis 
Editora: Thomas Nelson Brasil 
Páginas: 208

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Resenha do livro George Whitefield evangelista do avivamento século 18

O livro George Whitefield evangelista do avivamento século 18 é uma biografia produzida por um dos seus maiores pesquisadores o pastor  batista e historiador Arnold A. Dallimore, ele também escreveu a biografia de outros grandes avivalistas como CH Spurgeon.

George Whitefied foi um clérico anglicano Inglês, nascido em Gloucester,  filho de pais pertencente a classe média alta britânica. O então rapaz George, era apaixonado por teatro e livros e após ver a ruína dos negócios do seu pai começou a trabalhar, mas logo passou na   Oxford, onde para pagar os estudos aceitou trabalhar dentro da faculdade  e fez parte do clube da bíblia no qual conheceu os irmãos Charles e John Wesley, neste período chegou a ler o novo testamento em grego e teve a certeza de seu chamado ao ministério evangelístico e pastoral.

Conhecido como o  pai dos pregadores avivalistas, George Whitefield  era muito habilidoso na pregação e muito usado por Deus, ele queria que muitas pessoas pudessem ouvir a palavra nos quatro cantos do mundo e não somente dentro da igreja,  em seu impeto começou a pregar nas periferias da cidade, nas praças e aproveitando de uma voz forte levou multidões a ouvi-lo, milhares se convertiam em cada pregação, tornando-se conhecido em pouco tempo por toda Grã Bretanha, sentiu-se chamado também a ir até os EUA e lá passou algumas temporadas da sua vida pregando, sendo conhecido de outro grande pregador que o recebia o Jonathan Edwards. , o pastor ficou conhecido por iniciar uma nova forma de pregação pública, a das praças e grandes campos.

A obra também aborda o desentendimento histórico de John Wesley que era arminiamo que acreditava que o novo homem era capaz de parar de pecar em terra com o George Whitefield, que era calvinista, tendo assim uma cisão do movimento metodista, um continuou sendo apenas "metodista" e o outro era "metodista calvinista", todavia mostra também a grandeza de Whitefield em não querer separar os irmãos Wesley, pois Charles concordava com Whitefield, bem como sua humildade em não querer separar o movimento avivalista, aceitando pregar em todas as denominações.

A biografia escrita por Arnold A. Dallimore é muito rica pois possuí aspectos teológicos, além de históricos do movimento metodista, bem como suas consequencias reais, não esconde desentendimentos, aborda a vida pessoal e o ministério Whitefield, sua prática de fé, suas pregações, suas paixões, seu casamento, enfim até a sua morte. Um livro para aqueles que querem ser edificados com a história desde grande homem de Deus além de revelar bastidores da história da igreja.

Título: George Whitefield - Evangelista do Avivamento do século XVIII
Autor: Arnold A. Dallimore 
Editora: PES 
Páginas: 264