segunda-feira, 19 de abril de 2021

Resenha do livro Política, Religião e Sociedade, a contribuição protestante de Robinson Cavalcanti

Política, Religião e Sociedade, a contribuição protestante de Robinson Cavalcanti
A obra Política, Religião e Sociedade, a contribuição protestante de Robinson Cavalcanti, foi escrita pelo Professor Mestre em História Social pela Universidade do Maranhão,  Fernando Coêlho Costa, ele também foi obreiro da Aliança Bíblica Universitária -ABU. Trata-se de uma produção fruto de seu trabalho de mestrado que faz um recorte do pensamento do Bispo Anglicano Robinson Cavalcanti, um dos protestantes que mais contribuíram no dialogo da igreja com a politica. 

Publicado em 2020, o livro conta a trajetória do Dom Robinson Cavalvanti, desde a sua conversão do catolicismo para o Luteranismo, posteriormente a sua ida para a Igreja Anglicana seu envolvimento missionário com a ABU,  relatando sua formação acadêmica em direito e ciências sociais, além de sua cadeira ocupada na universidade federal de Pernambuco e sua caminhada de criação de movimentos políticos, como a formação do Movimento Cristão de Centro e o Movimento Evangélico Progressista -MEP. 

Robinson Cavalcanti tem extrema relevância dentro da posição protestante na política progressista, mesmo tratando de um clérigo ligado ao evangelicalismo e  consequentemente não liberal teologicamente,  pois ele  dialogava com a sociedade civil, participou ativamente do Partido dos Trabalhadores na década de 90 e criou pontes entre os setores institucionais e a igreja. Seu pensamento político  fez frente ao fundamentalismo religioso evangélico, em primeiro momento da história política nacional,  avesso a política institucional e depois com seu envolvimento clientelista, o que foi criticado constantemente pelo Bispo, na obra o autor consegue expor muito bem as suas ideias fundamentadas por sua teologia e sua intelectualidade inquestionável. 

Fernando Coêlho Costa colocou também  Robinson Cavalcanti no contexto cristão internacional e nacional, relatando como se dava a discussão interna sobre o papel protestante na construção do Brasil, bem como a discussão sobre o papel social das igrejas cristãs,   relatando tanto o lado da Igreja Católica, através da encíclica papal e teologia da libertação, mas principalmente, pelo lado evangélico, a partir do Congresso mundial de  Lausanne, e a  discussão e formação de  uma teologia Latino Americana que suprisse as demandas espirituais e sociais do povo latino. Neste ponto foi abordado amplamente a construção da teologia da missão Integral, com o Bispo sendo um dos grandes fundadores. 

Política, Religião e Sociedade, a contribuição protestante de Robinson Cavalcanti, é muito rico em informação de um período pouco descrito na literatura, seja em obras de história e política ou na própria teologia, é também interessante que a obra trás na integra documentos teológicos de grande relevância na teologia evangélica genuinamente latina. Abre espaço para novas obras que possam mostrar o outro lado dos evangélicos e principalmente que não existe uma total hegemonia no  pensamento político evangélico. 

Fernando Coêlho Costa

A obra expõe também, mesmo de forma indireta a importância da criação e manutenção de movimentos evangelicais,  da necessidade  crítica no meio protestante, de  como pensamos e agimos na esfera política, bem como a necessidade de lucidez, equilíbrio  e pluralismo em nosso meio.  Aponta e faz um justo tributo ao grande pensador, Dom  Robinson Cavalcanti, que como citado na obra, possuí uma vasta literatura criada por ele, são dezenas artigos de revistas e livros que foram acumulados durante décadas. Vale a pena a leitura!

Título: Política, Religião e Sociedade, a contribuição protestante de Robinson Cavalcanti 
Autor: Fernando Coêlho Costa
Editora:  CRV
Páginas: 182



segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Os 25 livros protestantes mais procurados em 2020

 

O blog Literatura Cristã, analisou quais foram as 25 resenhas de livros evangélicos mais procurados aqui na nossa página, baseado nos dados do google analytics. Os dados podem servir para você leitor que gosta de se deliciar e se edificar com a literatura do Reino e preparar suas lista de leitura para 2021. (Veja também a lista dos mais procurados em 2019). 

 Analisamos também em quais países mais houveram visitas, além do Brasil em segundo local foi Portugal, em terceiro a Estados Unidos e em quarto a Angola, já a quinta posição ficou com a Alemanha

 A faixa etária que mais entrou em nosso site foi a de 25 a 34 anos seguido de 18 a 24 anos, com referencia a gênero 50,07% são homens e 49,93% são mulheres. 

Já os autores mais lidos, estão empatados, o americano Francis Schaeffer e o holandês  Don Richardson. Veja o Ranking: . 

Veja a lista:

1ª Discipulado (576 visualizações)
2ª O Impostor que vive em mim (198  visualizações)
3ª Cristianismo Diabólico (140 visualizações)
4ª Em seus passos o que faria Jesus (109 visualizações)
5ª Pode falar, Senhor...Estou ouvindo (90 visualizações)
5ª O Totem da Paz (88 visualizações)
6ª O Vinho Novo é o Melhor (85 visualizações)
7ª Além das Possibilidades (64 visualizações)
8ª  A evangelização da Igreja Primitiva (62 visualizações)
9ª O Fator Melquisedeque (60 visualizações)
10ª Samuel Morris (54 visualizações)
11ª Pode falar, Senhor...Estou ouvindo (90 visualizações)
12ª Cartas do Diabo a seu aprendiz (52 visualizações)
13ª O Deus que Intervém (50 visualizações)
14ª O livro mais mal-humorado da Bíblia (48 visualizações)
15ª  A arte e a Bíblia (44 visualizações)
16ª Cremos (44 visualizações)
17ª Como Viveremos (44 visualizações)
18ª Viva a Simplicidade (42 visualizações)
19ª A Vida de Martyn Lloyd Jones 1899 - 1981 (42 visualizações)
20ª Cristo é o Senhor (42 visualizações)
21ª A Religião Mais Negra do Brasil (40 visualizações)
22ª As Boas Novas da Criação (36 visualizações)
23ª Eu, um Missionário? (36 visualizações) 
24ª  Crer é também pensar (34 visualizações)
25ª É preciso saber Envelhecer (34 visualizações)

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Resenha do Livro Deuses falsos - Timothy Keller

Livro Deuses Falsos

O livro Deuses Falsos, foi escrito pelo teólogo e pastor presbiteriano Timothy Keller , fundador da Igreja Presbiteriana Redentor na cidade de Nova York, Nova York, ele é conhecido pelas suas pregações que sempre iniciam através de pontos da cultura e a resposta bíblica. 

Deuses Falsos pretende ir expor a natureza humana e nossa facilidade em criar "deuses", desde os mais sutis no qual parecem ser inofensivos como "família", "trabalho", até os mais notoriamente destruidores. O argumento principal é que tudo que ocupa o lugar do  Deus verdadeiro gera consequências a nós humanos que não são boas. 

A leitura da obra da Timothy Keller é muito fácil de entender, até porque além dos conceitos teológicos ele dialoga com a cultura da sociedade, seja as mais atuais ou as mais clássicas, exemplificando através de histórias como ocorre a falsa miragem nossa a princípios errados que nos levam a infelicidade, o pastor também sabe muito bem através das palavras para tocar em questões profundas do coração humano. Ele também não deixa de questionar "ideologias" de felicidade e política. É um livro verdadeiramente rico. 

Timothy Keller

Deuses falsos,
uma obra edificante que facilmente pode ser dada de presente para pessoas que não conhecem a fé cristã pois consegue fazer o dialogo necessário, conceitual, histórico e cultural sobre diversos temas do cotidiano, mas também sobre assuntos macros e outros quase "transparentes" no qual aparentemente não conseguimos enxergar nossos próprios equívocos. Ele também aponta para Cristo e para a verdadeira felicidade cristã. Vale a pena a leitura, boa degustação. 

Título: Deuses Falsos 
 Autor: Timothy Keller 
 Editora: Vida Nova 
 Páginas: 188

domingo, 11 de outubro de 2020

Resenha do livro O que é Missão Integral?

 

O que é Missão Integral?

O livro O que é Missão Integral?, foi escrito pelo teólogo René Padilha. O livro trata de uma discussão muito saudável sobre missão da Igreja, apresentando o contexto e o modelo das organizações missionárias e da igreja, bem como o olhar de nossos irmãos e irmãs sobre o que é ser um missionário.

 Rene Padilha, aborda como a igreja de Cristo frequentemente faz uma divisão entre clérigos e ovelhas, diferenciando a missão através de um dualismo, e por consequência o termo “missionário” é utilizado para a pessoa que faz missões em outras culturas, recebendo o nome de “missionário transcultural”. Todavia muitas vezes não considera o leigo que em sua cultura e em seu contexto de vida, reflete o amor de Cristo proclamando e com boas ações. 

 O segundo tema é a integralidade da missão, neste ponto autor trás a tona o histórico da igreja e das missões, como a partir do século XIX as denominações foram criando conflitos através de uma segunda dualidade, a separação da evangelização e responsabilidade social na missão. Uma parte da igreja no século XIX, começou a entender que a responsabilidade social era mais importante que a proclamação de Cristo Ressurreto e Salvador, e a partir dai começou a proclamar um evangelho social deficitário, já a antítese da do evangelho social foi o fundamentalismo protestante, que negou a responsabilidade social da Igreja, seja no combate a desigualdades sociais ou no seu papel profético de denúncia de sistemas corruptos, para focar na proclamação verbal do evangelho de Cristo, nos milagres em uma pregação individual de transformação de vida. Estas duas discussões nortearam e polarizaram a Igreja.

 A proposta da Missão Integral, surge através do Congresso Lausanne 74 no qual propõe voltar a missão dos apóstolos e profetas do velho testamento, que é pregar o evangelho para o homem todo, ou seja tanto expondo Cristo como Senhor e Salvador, mas também ajudando o desamparado, cuidando do órfão e viúva, expondo os pecados coletivos do sistema econômico e político. Enfim a missão não deve ser repartido.

 A missão Integral além de resolver lacunas da igreja no seu trabalho evangelizador, também trás a tona conceitos muitas vezes esquecidos no protestantismo, não diferenciar o clérico do leigo na proclamação do Reino de Deus, levando toda a igreja a sua responsabilidade e compromisso em amor, primeiramente a Cristo e em segundo ao próximo. Ele também reflete na necessidade de uma teologia que bebe dos próprios sujeitos envolvidos com a nação. Isto é uma crítica a uma evangelização colonizadora do hemisfério norte nos países latinos.

C. René Padilla

O que é missão Integral? É um livro surpreendente e rico, ao mesmo tempo trás compaixão e entendimento ao leitor e é recheado de base bíblica o que impede más interpretações, ele vem com uma série de perguntas que podem se tornar um estudo bíblico em grupo. Vale a leitura!

Título: O que é missão Integral? 
 Autor:  C. René Padilla
 Editora: Ultimato
 Páginas: 133